quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O poder da avalanche de peões - Parte 2

por IM Zoran Ilic

traduzido e adaptado do blog Remote Chess Academy, do GM Igor Smirnov
Veja o artigo original clicando AQUI


Há alguns dias atrás publicamos a primeira parte da lição sobre avalanche de peões do especialista em xadrez Mestre Internacional Zoran Ilic para você, que terá aprendido como reconstruir seu repertório de aberturas, o poder dos peões adjacentes, etc. (Caso você tenha perdido esse artigo, clique AQUI).

Agora, você pode continuar seu estudo com a segunda parte dessa lição.


Jogo 03
Kamsky, G (2755) - Romanov, E (2611)
28º Copa do Clube Europeu Eilar ISR (1.1), 11.10.2012

Jogam as brancas
Na posição acima, as brancas tinham opções seguras para manter a vantagem ao jogar 27.Cc4-d6, pressionando Be4. Querendo mais, ele decide ir a um sacrifício posicional com trocas imaginário.

27.Txe4! dxe4 28.f5 Essa decisão corajosa permitiu que as brancas mantessem o peão-f e ganhassem domínio sobre o tabuleiro inteiro.

Os peões estão prontos para iniciar a avalanche!
28...Tfe8 Como se pode ver, as negras querem minar o vulnerável peão-e. Mas essa não é a melhor defesa. Era melhor esclarecer as coisas na ala da dama, tentando obter colunas abertas para as suas torres. Por exemplo, 28…Tfc8 29.Td7 b6 30.Cb7 bxc5 31.bxc5

29.Td5 e3 30.Rf1! Um lance de mestre! Todas as peças brancas estão no lugar ideal e é hora do rei apoiar a iniciativa. 30…e2+ 31.Re1! A fim de evitar que seu peão-e fique cravado, as brancas não têm pressa para tomar o peão. 31…b6 32.Cc4 bxc5 33.bxc5 Tec8 34.Rxe2 Bf8 35.b4

Jogam as negras
As negras estão desprovidas de qualquer contra-jogo e as brancas têm vantagem e estão prontas para aumentar a pressão lentamente. Não há necessidade de pressa nessa posição de abertura ainda. Usando o posto de controle de d6, ele vai reposicionar suas forças da melhor maneira. 35…Tc7 36.Rd3 Te8 37.Cd6 Tb8 38.Ce4 Be7

Todas as peças brancas estão em ação!
39.Td6! O segundo sacrifício posicional com trocas cria uma dupla de peões insuportável na 6ª fileira. 39…Bxd6 40.exd6 Ta7 41.c6

A torre pode ter ido embora, mas a AVALANCHE DE PEÕES está aqui!
Uma posição fascinante! 41…Rf8 42.Bd4 Taa8 43.d7 Até agora, Kamsky tinha jogado perfeitamente. Esta é uma imprecisão, permitindo que as negras prolonguem a luta. 43.c7! - teria vencido mais rápido.

43...Tc8! Recuperando material, a fim de se livrar desses peões monstruosos. De qualquer forma, a posição das negras está perdida e, com uma boa técnica, Kamsky venceu de forma convincente. 44.Bc5+ Rg7 45.dxc8D Rxc8 46.Rd4! Txc6 47.Rd5 Tc8 48.Cd6!

Jogam as negras
48…Tb8 49.Rc6 h5 50.Rc7 Tg8 51.Bd4+ Rh7 52.Ce4 Rh6 53.Be3 h4 54.Bxg5+
1-0


Jogo 04
Kortschnoi, Viktor - Najdorf, Miguel [D41]
Hoogovens Wijk aan Zee (4), 15.01.1971

Jogam as negras
Na posição acima, as brancas tem uma escolha a fazer: simplificar a posição jogando 24.Bxb5 Txa2, ou criar complicações por expor seu bispo ao ataque  depois de 24.Bb3. Como de costume, Kortschnoi aceita o desafio, preferindo uma batalha complexa.

23…b5 24.Bb3! a5 25.d5! O único jeito de lutar pela iniciativa! A posição em desenvolvimento requer um cálculo exato. 25...a4? As negras evitam uma posição ligeiramente inferior após 25…exd5 26.Bxd5 e agora não 26…Ta4 27.Df3 Txh4? 28.Dxf7+!+–
O lance executado na partida força as brancas a sacrificar uma peça. Qual lado calculou melhor?

Jogam as brancas
26.dxe6! Não 26.d6? Qa7! pois a batalha teria sido decidida na ala da dama. 26...axb3 Não é bom 26…Cxe6 27.Bxe6 Txd1 28.Bxf7+ Rxf7 29.Df5+ Df6 30.exf6 Txe1+ 31.Rh2+– e as brancas vencem.

27.exf7+ Rh8 As negras não poderiam jogar 27...Rxf7 pois 28.Txd8 Dxd8 29.e6+ Rg8 30.e7 De8 31.Db4 Ta8 32.Dxb3+ Rh8 33.exf8D+ Dxf8 34.Dxb5 - ganhando.

28.Txd8 Dxd8 29.axb3 De7 Se 29…Txb3, então 30.e6 De7 (30…Cg6 31.e7!) 31.Dg5 Db4 32.De5 De7 33.Db8 h6


34.De8 Db4 35.Tf1 Tb1 36.Txb1 Dxb1+ 37.Rh2 e está tudo acabado.

30.e6 Ta6

Acredito que essa é a posição que ambos os jogadores viram após 25...a4. Possivelmente, Najdorf pensou que ganharia o peão-e6 à força. Mas as brancas possuem recursos para manter e6 vivo.

31.f4!! Jogado em tempo hábil! Tempo é um fator crucial. Lembra da parte 1? :)

Os peões estão prontos para a ação!
31...h6 O peão-e6 é um tabu. Por exemplo, 31…Txe6 32.Txe6 Dxe6 33.Dxe6 Cxe6 34.f5 Cf8 35.h5! Lance importante que previne as negras de ativarem seu rei. 35...g6


(35…h6 36.g4 g6 37.f6 gxh5 38.gxh5+–) 36.h6!+– O rei negro está afogado e a marcha do rei branco decide o jogo.

32.f5 Ch7 33.Tc1 As brancas estão vencendo mas problemas de tempo mútuo afetam o decurso do jogo.

33…Ta8 34.Df4 Cf6 35.Dc7 Db4 36.Dc8+? Típica decisão em apuro de tempo. O lado mais forte dá xeque, procurando linhas forçadas e vencedoras. Em um clima calmo, Kortschnoi encontraria facilmente o lance sorrateiro e matador 36.Dc5! +– quando as negras teriam abandonado imediatamente.

36...Kh7! Evitando o final espetacular 36…Txc8 37.Txc8+ Rh7 38.f8C+ Rg8 39.Cg6+ Rh7 40.Th8#

Jogam as brancas
37.Dxa8 Perdendo a oportunidade de jogar pela vitória com 37.Dc3. 37…Dd4+ 38.Rf1 Df4+?? Retornando o favor! O correto era 38...Dd3+! e as brancas não podem evitar o xeque perpétuo.

39.Re2 De5+ 40.Rd1 Apesar dos erros mútuos em apuro de tempo, este é um jogo fantástico entre dois gigantes do xadrez. 1-0


Jogo 05
Kramnik, Vladimir (2730) - Ivanchuk, Vassily (2740)
Dortmund Dortmund (1), 1995

Jogam as negras
Nessa posição específica, tendo uma torre e dois peões por duas peças menores, as brancas estão melhores; mas com uma defesa precisa, as negras poderiam ter mantido o avanço dos peões centrais das brancas sob controle. Infelizmente para ele, pouco antes de alcançar o controle a tempo, ele erra com 40...Cd7?

Em vez disso, com 40...Re6! as negras teriam sido capazes de segurar a posição. 41.Txc6! Um excelente sacrifício de troca abre caminho para a massa de peões brancos. 41...bxc6 42.Txc6

Jogam as negras
As brancas possuem uma estrutura de peões saudável, enquanto que os enfraquecidos peões negros são um alvo ideal para sua torre. 42…Tb8 43.Txg6 Txb2 A única chance de criar um contra-jogo com o peão-a. Mas as brancas são mais rápidas.

44.f5 Tb3+ 44…Cxe5 45.Te6+ +– 45.Rf4 Txa3 46.Tg7+ Re8 47.e6 Cf6

Jogam as brancas
48.g4! Ótima solução tática. Qualquer tomada das negras dá ao rei branco  permissão para penetrar de forma decisiva.

48...Ta1 48…Cxg4 49.e5 Ta1 50.f6 Tf1+ 51.Rg5+–; 48…hxg4 49.Re5 Cxe4


(49…Ch5 50.Th7+–) 50.Rxe4 Tf3 51.Re5 c5 52.Tg8+ Re7 53.f6+ Txf6 54.Tg7+ +–

49.e5 Cd5+ 50.Re4 [50.Re4 Cc3+ 51.Rd3 Cd5 52.gxh5 +–]

1-0


Se você, meu caro leitor, quer ciar tais tipos de ameaças, então aqui está uma conclusão para você!

CONCLUSÃO
  • Seja bravo e imaginativo;
  • Seja mente aberta para sacrificar material;
  • Encontre o equilíbrio entre decisões intuitivas e analíticas;
  • Acredite na força dos peões.

Vamos finalizar esse artigo com a famosa frase:

"Os peões são a alma do xadrez" - Philidor


Eu recomendo que você retorne a essa lição após uma semana ou duas. Como você já deve saber, estudar uma lição repetidamente ajuda-o a entender isso melhor e você se lembrará disso por muitos dias!

PS: Caso você não tenha visto a primeira parte dessa lição, você deve vê-la AQUI. Se você gostou desse artigo, por favor escreva seus comentários abaixo e compartilhe com seus amigos. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário